3 erros ao ensinar violão às crianças

Inscreva-se para saber dos novos conteúdos, assim que sejam publicados.

Compartilhe este Post:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Ensinar violão às crianças é, sem dúvidas, bem diferente de ensinar violão aos adultos. A principal razão para esta diferença consiste no fato das crianças praticamente não terem disciplina, não organizarem horários, elas são completamente guiadas pela paixão do momento. No caso delas, portanto, estimular o gosto pelo instrumento é especialmente importante, já que significa evitar que um possível anseio de tocar não se dissipe, ou que a possibilidade do surgimento do mesmo não se exclua. Se conseguirmos fazer com que a criança sinta aquele profundo prazer de tocar, ela mesma irá correr atrás do aprendizado, e correndo atrás do aprendizado se tornará irrefreável

Neste texto, você verá 3 grandes erros ao ensinar violão às crianças, erros que levam, acima de tudo, à total perda do interesse que elas possam ter pelo instrumento, ou mesmo à exclusão de quaisquer possibilidades de desenvolvê-lo.

Vamos então ao primeiro deles:

1) Conteúdo explícito ser maior do que o implícito

Antes de tudo, convém aclarar o que são esses tais conteúdos explícitos e implícitos. Em poucas palavras, podemos dizer que os explícitos são aqueles facilmente perceptíveis por qualquer pessoa, seja ela musicista ou não, enquanto que os implícitos são aqueles que só um músico é capaz de perceber. Exemplo: você pode ensinar a música “cai cai balão”, e todos saberão que é uma música para crianças, mas você pode também ensinar a música “Tempo Perdido” (simplificada), da Legião Urbana. Pode ser que “cai cai balão”, ensinada de determinada maneira, seja até bem mais difícil do que “Tempo Perdido”, e, portanto, menos adequada. Mas por que? 

É porque o conteúdo implícito de “Tempo Perdido” (em versão simplificada) será mais fácil e eficiente do que o explícito. Em outras palavras, não é necessário (e nem recomendado) ensinar músicas demasiadamente infantis à criança (isso será pouco estimulante para ela). Pelo contrário, adapte uma música “de adulto” ao nível dela, tendo em mente aquilo que ela realmente deve desenvolver (sobre isso, falaremos no tópico 3).

organizar aulas de violao crianças
Para ensinar violão às crianças, é necessário mantê-las motivadas!

2) Ensinar cifras e partituras logo de cara

Me responda uma coisa: você aprendeu a escrever e a ler antes de falar? Com certeza não, e não é à toa! A escrita (signo visual) refere-se à fala (signo sonoro), não convém que ela se antecipe a esta. Da mesma forma, ensinar notação musical a alguém que não sabe nem tocar o básico não faz o menor sentido. É necessário que a criança já tenha alguma experiência intuitiva do fazer musical antes de efetivamente aprender a notação, já que esta, sem alguma bagagem intuitiva, não se referirá a nada, não fará conexão com nada do saber concreto da criança. Claro que saber notação musical é importantíssimo, mas é importantíssimo porque é um meio de se organizar o conjunto de experiências concretas da pessoa em um sistema mais tangível e manipulável. Sem algum conjunto prévio de experiências intuitivas, a criança não terá ao que se referir quando aprender a notação. E claro, se para ela a partitura/cifra não passa de uma escrita dissociada do mundo concreto, o aprendizado será extremamente desestimulante. Então lembre-se: ensine-a a tocar algo, faça-a ter a experiência de viver a música, depois comece a introduzir a notação.

3) Fazer exercícios de técnica isolada

Exercícios de escala, de técnica da mão direita… Bom, todos esses exercícios são excelentes para quem já sabe tocar e quer alcançar um nível alto no instrumento, mas para quem não sabe tocar são péssimos e desestimulantes. É muito mais valioso ter uma criança inspirada e motivada a aprender do que uma que consiga cumprir os exercícios. A criança motivada, correndo tudo certo, seguirá no aprendizado por anos e anos, enquanto que a criança desmotivada largará o violão! Ao invés de focar em técnica isolada, portanto, foque em mantê-la motivada no aprendizado e, sem que ela sequer perceba, vá introduzindo elementos de técnica nas próprias músicas que ensina. É muito melhor, sobretudo em um estágio inicial, transmitir a técnica por meio da música, e não separadamente.



Bem sabemos que ensinar crianças a tocar violão não é fácil! Sabendo disso também, Ricardo Novais desenvolveu, ao longo de anos e anos de experiência, o método PROVIC, do site Amigo Violão,destinado a preparar professores de violão no ensino às crianças. O método é o resultado de pesquisas e tentativas e mais tentativas, e vem sendo elogiado há anos por vários professores que aderiram a ele!

Caso queira conhecer melhor, clique aqui!

Posts relacionados no Amigo Violão:

Você quer aprender violão de forma afetiva, de acordo com sua capacidade?

Veja nossos cursos: