Como fazer pestana no violão? Entenda aqui!

Inscreva-se para saber dos novos conteúdos, assim que sejam publicados.

Compartilhe este Post:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Muitos iniciantes (se não todos) têm, em algum momento, dificuldade em como fazer pestana no violão. Alguns, infelizmente, acabam até mesmo largando ou desanimando do violão, após um certo tempo tentando sem sucesso. Caso esta seja a sua situação, tenho uma boa notícia a lhe dar! Provavelmente, grande parte da sua dificuldade se dá por uma orientação incorreta neste sentido, e hoje vou lhe mostrar quais são os principais problemas dos iniciantes e como podemos contorná-los. No entanto, é importante que você saiba que este, assim como todos os desafios do instrumento (ou mesmo de qualquer outra área do conhecimento), merece o devido esforço e comprometimento para ser superado. A pestana pode ser superada com técnica e abordagem corretas, porém, para isto, é necessário também praticar bem.

Os erros mais comuns ao se fazer a pestana:

A pestana, por consistir em várias cordas sendo pressionadas ao mesmo tempo e pelo mesmo dedo, exige mais força para soar bem. Porém, não é simplesmente fazer muita força, mas saber aplicá-la da maneira correta, e nisto consiste um grande erro dos iniciantes. É necessário, por mais que pareça contraditório com o que acabo de falar, aplicar o mínimo de força possível. Isto é assim porque qualquer força a mais do que necessário se converte imediatamente em tensão, e quanto mais tensão existir em sua mão, menos precisa e eficaz será a pestana. O resultado será, então, uma pestana mal feita e até mesmo uma possível lesão depois. Então, primeiramente, tenha sempre em mente o seguinte (algo que você pode aplicar para tudo no violão):

“Como posso tocar isto com o mínimo de esforço possível, porém sem diminuir a firmeza no tocar?”

Um bom violonista

Mas lembre-se, existe uma diferença entre fazer o mínimo de esforço e não fazer esforço. Você só deve diminuí-lo ao necessário, mas não mais do que isto.

Aí você se pergunta: “Tudo bem, mas então como faço pra saber se é adequada a quantidade de esforço que estou empregando?”

Para isto, faça o seguinte: sempre que, ao tocar, você perceber que está forçando demais o dedo, relaxe toda a sua mão (e até mesmo os braços) ao máximo. Relaxe-a até o ponto em que ela cair de tão solta. Aí então, coloque sua mão novamente no braço do instrumento e vá, desde o ponto mais relaxado, vá tentando encontrar o ponto de equilíbrio entre o relaxamento que você acaba de experimentar e a firmeza que você busca no som.

Porém… 

Como fazer pestana no violão: eis uma questão difícil para o iniciante.

Em certos casos (e isso é o que mais nos interessa agora), o problema não é a tensão por si só, mas a solução técnica que você está tentando empregar para fazer a pestana. Neste caso, não adianta o quanto tente, sempre vai dar errado.

E, no caso da pestana, são 3 os principais problemas dos iniciantes:

1) Colocar toda a força da pestana no dedo

Por incrível que pareça, suas mãos não são as únicas partes do seu corpo para as quais você deve se atentar ao tocar violão. Pode-se dizer, na verdade, que se toca violão com o corpo todo, e que até mesmo a forma como o músculo do seu peito está (sim, acredite ou não) influencia no seu tocar.

No caso da pestana, algo que muitos iniciantes fazem é exagerar na força da pinça da mão (a pinça consiste neste movimento de abre e fecha que aplicamos ao pegar uma fruta, por exemplo). Perceba que, ao tentar uma pestana, é como se sua mão esquerda (caso você seja destro) estivesse querendo fechar, porém tendo o braço do violão como barreira. O grande problema é que a força da pinça é pequena, e a força para se fazer uma boa pestana é relativamente grande, então não convém apostar sua força nela.

Mas então com que parte do corpo devemos tirar a força para a pestana? 

E é aí que repito o que disse: se toca violão com o corpo todo. E, pensando em como fazer pestana no violão, é necessário que você transfira o máximo possível desta força destinada à pestana para o seu braço inteiro (e, consequentemente, até o peito). Experimente, com o braço direito, puxar o violão para perto de si, e, com o braço esquerdo, puxar a mão (com a pestana) em direção ao braço do instrumento (tente isto, primeiro, com um si menor). Você irá perceber que a força da pinça se torna desnecessária. Claro que isto, com o tempo, vai se tornando discreto e suave, sendo reduzido ao estritamente necessário, mas é importante que, no momento, você diminua ao máximo a força da pinça, transferindo-a para o braço. Se trata de diminuí-la ao mínimo possível (tentar zerar a força nos dedos, literalmente), compensando o resto com o braço.

2) Querer pressionar toda as cordas com a pestana, ao invés de somente aquelas necessárias para o acorde

como fazer pestana
Toca-se violão com o corpo todo!

Você pode perceber que, em 99% dos casos, as cordas de um acorde que estão sendo realmente pressionadas pela pestana são 2 ou 3, não as 6 cordas do instrumento. Em muitos acordes, como em um si menor, 3 dedos pressionam notas na frente da pestana (fá#, si e ré), sobrando somente 2 notas para a pestana propriamente dita. Neste caso, não há necessidade de serem pressionadas todas as cordas por ela, mas somente aquelas que ela irá efetivamente pressionar (si grave e fá# agudo), podendo o resto dela somente pairar sobre a corda levemente.

Para isto, preste atenção em como está seu dedo polegar na parte de trás do braço, e movimente-o até mais ou menos a altura em que a pestana está falhando (isto é porque a pinça se torna mais eficiente quando o polegar está mais ou menos na mesma altura da parte em que se deseja pressionar). Caso, em um si menor, tomando-o novamente como exemplo, a nota fá# estiver falhando, movimente o dedo polegar levemente para a parte de baixo do braço (porém não tão baixo a ponto de escapar do braço), e assim a pinça será mais eficiente. As notas que não estiverem sendo pressionadas pela pestana, mas por outros dedos da mão, não precisam e nem devem ser pressionadas (isto seria tensão a mais, e, como já foi dito, é prejudicial para um bom desempenho).

3) Tentar formar o acorde em partes, com um dedo de cada vez

Outro grande problema do iniciante consiste em formar o acorde (e isto é especialmente comum no caso de pestanas) por partes. Ou seja, o aluno posiciona primeiro o dedo 1, depois o 2, depois 3 e assim em diante. Isto é um grande erro, já que é impossível trocar de acorde com agilidade desta forma.

Caso este seja seu problema, faça o seguinte: decore a posição de cada dedo do acorde (é bom memorizar até mesmo a imagem da mão no braço), e fique, sem pressionar as cordas, mas somente posicionando os dedos em cima delas, mudando de acorde repetidamente. Por exemplo: para formar rapidamente um si menor, fique alternando de dó maior para si menor (sem tocar nada, somente posicionando os dedos mais ou menos por cima de onde devem ficar, sem sequer pressionar) repetidamente.

Faça isto várias vezes e você perceberá que a forma do acorde já se tornou natural para você. Tente, por mais que isto torne a mudança bem lenta, movimentar todos os dedos de uma vez e simultaneamente. É importante que você, mesmo sem efetivamente pressionar nem tocar o acorde, saiba movimentar seus dedos, todos ao mesmo tempo, para ele. Não é necessário, principalmente no início, tanta precisão na chegada, mas basta que se posicione mais ou menos o dedo onde ele deve estar, e aos poucos o movimento vai ficando mais preciso). Caso continue muito difícil, tente dividir o acorde em duas ou mais partes, e formar separadamente, cada uma delas, da mesma forma. Por exemplo: no si menor, forme a pestana e o ré juntos (dedos 1 e 2), e, separadamente, o fá# e o si (dedos 4 e 3), depois forme a pestana e os dedos 4 e 3 juntos, e assim em diante.

Após já ter feito isso diversas vezes, passe a aplicar pressão sobre as cordas, e, enfim, bem lentamente, vá tentando tirar algum som. Caso ainda não consiga, volte uns passos atrás e pratique mais. 

Dica adicional (para pegar a posição correta da pestana):
https://www.instagram.com/p/CP-uxcgDFI_/?utm_medium=share_sheet

Quer aprender mais?

Espero que este texto tenha lhe ajudado a entender como fazer pestana no violão! Caso tenha interesse em se desenvolver no violão, conheça o curso MOVI (Método Otimizado de Violão para Iniciantes), com o qual você poderá, gradualmente, superar as várias dificuldades técnicas que surgem neste percurso inicial do instrumento. Clique aqui para saber mais!

 

Posts relacionados no Amigo Violão:

Você quer aprender violão de forma afetiva, de acordo com sua capacidade?

Veja nossos cursos: